Você está aqui: Página Inicial / Sobre a Câmara / Notícias / Inaugurada Galeria das Vereadoras de Divinópolis

Inaugurada Galeria das Vereadoras de Divinópolis

por Diretoria de Comunicação publicado 09/03/2018 16h50, última modificação 09/03/2018 16h57
Os 70 anos da reabertura do Legislativo Municipal foram celebrados com a instalação de memorial no Plenário da Câmara
Inaugurada Galeria das Vereadoras de Divinópolis

Ex-vereadoras Ivone, Eliana, Dorzinha e Heloisa, presentes à inaugração da Galeria

Em comemoração dos 70 anos de reabertura do Poder Legislativo Municipal, foi inaugurada, nesta quinta-feira 8, a Galeria das Vereadoras de Divinópolis que tiveram seus mandatos cumpridos: Ivone Gomes Guimarães (primeira mulher eleita); Eliana Ferreira Glória e Silva; Maria das Dores Manoel e Heloisa Vieira Cerri. A cerimônia de descerramento do dispositivo ocorreu ao início da solenidade de homenagens às Mulheres Cidadãs, versão 2018, e na presença das ex-vereadoras.

A Galeria está instalada no lado direito do Plenário Zózimo Ramos Couto e contém imagens gravadas em aço inox, com indicação dos períodos de mandato de cada uma.

 

Ivone Gomes Guimarães

A primeira vereadora eleita foi Ivone Gomes Guimarães, em 1976, pelo partido da Aliança Renovadora Nacional (ARENA), com 930 votos (2,35% do colégio eleitoral). Seu mandato durou seis anos, participando das Comissões Permanentes de Justiça e Redação e de Educação e Cultura e da Comissão Especial de Direitos Humanos, em 1981. Em 1977, foi primeira-secretária da Mesa Diretora.

Sua vocação política “tem fundo religioso” (bem comum) e base fundamental no Direito (justiça e dignidade). Servir ao bem comum, contra as injustiças sociais foi seu lema de vereança.

 

Maria das Dores Manoel, “Dorzinha”

Eleita pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB) em 1988, com 548 votos (0,70% do colégio eleitoral); em 1996, com 807 votos (0,75%), e 2000 com 816 votos (0,67%), destaca-se por ser a vereadora com mais mandatos.

Atuou efetivamente na Comissão de Educação, Ciência e Cultura (como membro, secretária e presidentre, em várias ocasiões). Alcançou o posto de vice-presidente da Mesa Diretora e, por três vezes, foi primeira-secretária.

Sua atuação mais destacada foi na função de Secretária do processo de elaboração da Lei Orgânica Municipal (em 1990) e na revisão geral de 1998.

Ética, fidelidade pártidária e compromisso com o seu papel institucional foram características imutáveis de seus tres mandatos.

 

Eliana “Piola” Ferreira Glória e Silva

Foi eleita pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), em 1988, com 714 votos (0,90% do colégio eleitoral), e pelo Partido Democrático Trabalhista (PDT) em 2000, com 1.024 votos (0,83%).

Em seu primeiro mandato, foi relatora do processo de elaboração da Lei Orgânica do Município (em 1989) e vice-presidente da Mesa Diretora (1992).

No segundo mandato, participou das Comissões Permamentes de Administração, Obras Públicas, Serviços Urbanos, Habitação, Indústria e Comércio; de Ética; e de Direitos Humanos e Cidadania.

Teve a atuação marcada por suas denúncias de processos licitatórios fraudulentos na Prefeitura, que alcançou notoriedade nacional. Enfrentou com coragem as reações hostis relacionadas à condição feminina e à sua atuação fiscalizadora na Câmara contra a corrupção.

Discurso forte de combate à corrupção e fiscalização do dinheiro público foram marcas de seus mandatos.

 

Heloisa Vieira Cerri

Foi eleita em 2008, pelo Partido Verde (PV) com 2.094 votos (1,41% do colégio eleitoral).

Suas atuações como vereadora foram duramente hostilizadas por seus pares, por causa do idealismo de querer acabar com privilégios administrativos que achava incorretos.

A atuação da vereadora foi predominantemente fiscalizadora, com proposições voltadas para oficialização de efemérides locais, alteração em legislação, matérias polêmicas de controle social e segurança pública.

Seu mandato foi diferenciado por suas lutas diárias e marcado por muitos processos judiciais contra seus posicionamentos. Sua atuação crítica e independente contrariou interesses que tiveram de retroceder.

Atuação crítica e independente contra privilégios foi uma das caracterrísticas marcantes de seu mandato.

 

Textos: Flávio Flora   -  Fotos: Helena Cristino

Obra consultada: Trajetórias de Mulheres na Política Eleitoral - O caso da Câmara Municipal de Divinópolis, MG, da socióloga Sandra M. Guimarães (2015).